Imagens

Três antenas SIRESP falharam no incêndio de Mação

Três antenas SIRESP falharam no incêndio de Mação

Três antenas da Rede Nacional de Emergência e Segurança (conhecida por SIRESP) entraram em modo local, durante os incêndios que têm estado a lavrar em Mação e nos concelhos adjacentes. A revelação foi feita na tarde de quinta-feira pela Ministra da Administração Interna, durante a audição em Comissão de Assuntos Constitucionais. A ministra informou ainda que, perante a falha provocada pelo derretimento dos cabos que ligam as antenas, foi solicitada a intervenção de uma das unidades móveis, que permitem repor as comunicações através do satélite.

A ministra lembrou ainda que as três antenas entraram em funcionamento em modo local e por asseguraram as comunicações por rádio com bombeiros, INEM ou GNR que se encontram no terreno, mas sem permitir a comunicação dos operacionais com os centros de comando (essas comunicações são feitas por cabo, ao contrário das comunicações com os terminais que são feitas por via hertziana).

“Vamos ser sérios. O SIRESP falha e é isso que tem de ser resolvido”, admitiu Constança Urbano de Sousa, acrescentando pouco depois, sem apresentar uma solução técnica: “Há um problema efetivo que tem de ser resolvido de forma séria; não tenho uma solução mágica”. As frases da ministra foram proferidas em resposta a questões de Carlos Abreu Amorim, que iniciou a audição estimando em mais de 100 mil hectares ardidos nos últimos meses.

Se o deputado social-democrata havia colocado a ênfase no presente, a ministra escudou-se no passado. E lembrou que o recurso à Linklatters se deveu ao facto de ter sido esta sociedade de advogados que assessorou o Estado durante a elaboração do contrato assinado em 2006. “O mais lógico, quando há uma dúvida, especialmente como aquela que houve sobre a cláusula 17º, é que se pergunte a quem conheça o contrato”, referiu Constança Urbano de Sousa.

Depois de informar que o parecer da Linklatters terá um custo de 4500 euros, a ministra da Administração Interna retomou a linha do tempo para reverter a investida da oposição social democrata. “O contrato SIRESP não surge vindo do céu. O contrato começou a ser desenhado em 2003, quando era primeiro-ministro”, disse a ministra, fazendo um pequeno momento de suspense… até que o deputado socialista Filipe Neto Brandão lá completou a frase, lembrando que na altura o primeiro-ministro era José Manuel Durão Barroso.

Powered by WPeMatico

A dama da Luz

Últimas

RTP

pub.

Evento

COVID-19 |Sites de Apoio

Linha SNS24 – Serviço online do SNS
SNS - Área do Cidadão do Portal SNS
Direção-Geral da Saúde – Atualiação permanente das últimas informações oficiais
Organização Mundial da SaúdeRelatórios de acompanhamento ao Covid-19
ECDC - Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças

Windy – Tempo na Foz do Guadiana

Visite

lugar-ao-sul
O que leva um conjunto de pessoas de geografias diferentes a encontrarem-se no espaço que a não tem – a web – para escreverem sobre os mais variados temas tendo apenas como farol uma posição cardeal: o Sul?
Agosto 2020
STQQSSD
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31 
%d bloggers like this:

Ao continuar a utilizar este site, concorda com a política de cookies mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Fechar