O Jornal do Baixo Guadiana, a Biblioteca Municipal Vicente Campinas e o Centro Europe Direct do Algarve promovem uma tertúlia dedicada ao Ano Europeu do Património Cultural. 

A tertúlia vai ter lugar a 26 de Janeiro pelas 18h na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, em VRSA.

O objetivo passa por dar mais informação sobre este Ano Europeu e perceber, sob diversos pontos de vista, a importância e a oportunidade do mesmo e observar, através da partilha de experiências e projetos, qual o impacto que o património cultural tem na nossa sociedade.

Para abrir a temática e refletir conjuntamente teremos um leque diversos de intervenções que pretendem mostrar o potencial do património cultural do Baixo Guadiana e partilhar experiências de trabalho nesta área – umas mais consolidadas e outras numa abordagem mais recente.

A título de exemplos que tornam mais inteligível o que significa trabalhar o património cultural. a tertúlia destina-se a conhecer processos, expetativas, frustrações e sucessos de iniciativas à volta do Património Cultural, quer tanto a nível do Baixo Guadiana como do Algarve.

São convidados como oradores desta tertúlia o Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela (CIIPC), de Vila Real de Santo António, a empresa municipal NovBaesuris, de Castro Marim, e Carlos Brito, alcoutenejo notável, com diversificado trabalho também na área da valorização, preservação e comunicação do património cultural do Baixo Guadiana. Carlos Brito aceitou nosso convite, mas a sua confirmação na tertúlia, e face à sua agenda fora do Algarve, será dada apenas nos próximos dias.

A nível regional vamos contar com as perspectivas da Directora Regional da Cultura do Algarve, Alexandra Gonçalves e da Comissária do Programa «365 Algarve», Anabela Afonso. Aceitou, igualmente, o nosso convite para nos dar o seu olhar sobre esta temática dos os contributos e partilhar ideias, convicções, experiências, críticas e saberes num encontro que terá o foco no Património Cultural e no que este Ano Europeu nos pode trazer de novo e de oportunidade, nomeadamente, de índole de apoio financeiro a partir de Bruxelas.

 As tertúlias do Jornal do Baixo Guadiana tem já uma década e são, para o jornal, uma forma diferente de fazer informação, numa proximidade ainda maior com a comunidade, o que muito se identifica com este jornal de desenvolvimento local.