A geografia da escrita e a escrita da geografia por João Tordo

 

Era uma manhã cinzenta, descreve a micaelense Natália Correia, que se pôs a cruzar o mar em direções diferentes: “Por quantas terras fui, por quantas gentes, / Nesta longa viagem que não finda”. As viagens e os lugares são há muito parte do universo criativo dos autores. A escrita bebe dos sítios por onde passam, ainda que não sejam territórios nomeados e tangíveis.

Source: A geografia da escrita e a escrita da geografia por João Tordo – Atualidade – SAPO 24