Destaque Sociedade

Carros estrangeiros podem evitar paragem antes da Via do Infante com a EasyToll

Os condutores de carros de matrícula estrangeira ao aderirem ao sistema Easytoll, que permite a circulação nas autoestradas ex-SCUT, com cobrança de portagens através de pórticos, como a Via do Infante, podem evitar a paragem na fronteira.

Segundo o Ministério da Economia e Transição Energética, «a solução elaborada pela Infraestruturas de Portugal, S.A., vem simplificar o serviço prestado aos visitantes, por via terrestre, do país, ao permitir que a adesão ao Easytoll possa ser feita online, inclusive através de dispositivos móveis. Contando com uma divulgação internacional através do Turismo de Portugal, o novo serviço visa também uma maior eficácia na cobrança das portagens».

As longas filas criadas nas praças de adesão, nomeadamente em Castro Marim, são um dos problemas que o Governo quer resolver com esta nova funcionalidade.

«Há muito que se procura uma melhor solução para a problemática das portagens para as viaturas de matrícula estrangeira, uma vez que o atual sistema de pagamento de portagens sofre de constrangimentos que afetam não só a eficácia na cobrança de portagens, como também a imagem do país junto dos que nos visitam. Trata-se de uma medida importante, que promove uma melhor experiência em Portugal», disse a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

Para o secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, «colocar as novas tecnologias e o novo mundo digital ao serviço das pessoas é um objetivo constante da Infraestruturas de Portugal, S.A., na busca de cada vez melhores infraestruturas e de melhor qualidade dos serviços prestados. Acreditamos muito no sucesso desta medida».

«O sistema Easytoll é uma solução de pagamento automático válido para veículos de matrícula estrangeira em autoestradas com sistemas de cobrança de portagem exclusivamente eletrónicos, ou seja, sem praça de portagem nas entradas e saídas, que associa um cartão bancário à matrícula do veículo», enquadra o Ministério da Economia.

A partir de agora, destaca a tutela, «o condutor já não precisa de se deslocar a uma praça de adesão num momento prévio à sua circulação na autoestrada».

Etiquetas

Opinião

Dezembro, 2020

X