Montepio falha no controlo de branqueamento de capitais e arrisca multa pesada

O Banco de Portugal não está contente. Com base numa auditoria forense desencadeada em 2015, pela Deloitte a vários bancos, a pedido do BdP, foram identificadas deficiências no sistema de controlo interno do banco Montepio, relacionadas com a prevenção do branqueamento de capitais e o financiamento de terrorismo, avança o “Público” esta quarta-feira.

Tudo indica que vá haver consequências. A instituição liderada por Carlos Costa já deduziu acusações contra a Caixa Económica Montepio Geral e ainda contra Tomás Correia e Almeida Serra, enquanto ex-presidente e ex-administrador da instituição bancária, por não terem introduzido atempadamente os procedimentos necessários ao controlo de movimentos financeiros ilícitos. Em caso de condenação, a aplicação de coimas conjuntas aos dois gestores e à empresa irá dos 50 mil aos cinco milhões de euros.

Se o infractor for uma pessoa singular, segundo a lei o Banco de Portugal pode multá-lo entre 15 mil euros e 1,250 milhões de euros. A mesma coima dispara quando se trata de uma instituição, que pode ser obrigada a pagar entre 25 mil euros e 2,5 milhões de euros.

Pelo que apurou o matutino, os processos já deram lugar a acusações, mas não a condenações. Tal só se verificará depois dos envolvidos apresentarem as suas defesas.

 

Source: Expresso | Montepio falha no controlo de branqueamento de capitais e arrisca multa pesada

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar este site, concorda com a política de cookies mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Fechar