Notícias Território

Monte Gordo – CDU diz que querem expulsar concessionários actuais

A CDU emitiu um comunicado no qual considera que as «demolições à pressa e custos incomportáveis são verdadeira ordem de expulsão dos empresários locais da Praia de Monte Gordo»

Esta força política afirma que «após o anúncio pela Câmara Municipal de gestão PSD, em Outubro de 2016, do lançamento do concurso para a reabilitação da Praia de Monte Gordo, muita propaganda foi feita sobre tão aguardada obra e em particular sobre os muitos, muitos Milhões de euros de investimento».

A CDU diz que a seu tempo, denunciou que, «na realidade, grande parte dos Milhões amplamente difundidos em apresentações, outdoors e páginas de jornais, estavam de facto dependente das empresas que tivessem interesse e disponibilidade para assumir esses investimentos».

Para a CDU as afirmações que fez «vieram a confirmar-se e neste caso com preocupantes consequências, em particular para os empresários que detêm actualmente concessões de Apoios de Praia em Monte Gordo, que representam uma importante parte do sector económico do concelho, muitas dezenas de postos de trabalho e um serviço essencial para todos os que usufruem da praia».

Considera que «a notificação da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) datada de 17 de Janeiro, recebida pelos concessionários dos Apoios de Praia de Monte Gordo, foi a confirmação de que as contas não batiam certo. O concurso aberto pela Câmara Municipal para a reabilitação da Praia de Monte Gordo contempla apenas a construção do passadiço de madeira que vai melhorar o acesso à praia».

«Afinal, cada um dos novos apoios de praia terá que ser construído com dinheiro dos próprios concessionários que, segundo as cartas enviadas pela APA, têm 10 dias para comunicar qual o tipo de módulo que irão concretizar de imediato.  A mesma notificação requer ainda a desactivação e demolição das actuais instalações até 22 de Fevereiro», observa esta força políticia representada na Câmara Municipal de Vila Real de Santo António.

Para a CDU «A praia de Monte Gordo foi das primeiras a conhecer o turismo internacional e alguns dos Apoios de Praia têm mais de meio século, com as adaptações feitas ao longo dos anos e a uma distância segura da linha de água. O ordenamento da praia é necessário e será bem aceite pelos concessionários, mas também é necessário garantir condições para que estes possam integrar a solução de requalificação da praia de Monte Gordo, onde as demolições só ocorram quando os novos Apoios de Praia já estiverem construídos e fazendo com que todas as obras decorram em período do ano que não perturbe o funcionamento da praia na Primavera e Verão».

Afirma ainda qu e «0 PCP e os eleitos da CDU têm vindo a combater esta política populista do PSD na Câmara Municipal, que cria justas expectativas na população e nos empresários locais, mas que os desilude quando a realidade fica a descoberto. Neste caso, a realidade compromete seriamente a continuidade de um conjunto de empresas locais que há muitos anos aguardavam melhores condições para continuarem a trabalhar na Praia de Monte Gordo».

Uma delegação do PCP integrando, o vereador Álvaro Leal, outros eleitos da CDU e o Deputado Paulo Sá, irá deslocar-se à Praia de Monte Gordo no próximo sábado, dia 28 de Janeiro,  para ouvir os afetados por estas medidas.

Opinião

Novembro, 2020

X